Assadura ou dermatite de fralda: prevenção e tratamento

mai 25, 2011 by

Também conhecida como eritema da fralda, é mais frequente em crianças menores de um ano de idade. É uma dermatose inflamatória que atinge áreas cobertas pela fralda e que pode ser causada por muitos fatores. Entre eles:

o tipo de fralda usado;

o aumento da temperatura do local da fralda faz com que ocorra a vasodilatação e consequente a inflamação;

alguns óleos, desodorizantes e conservantes;

microorganismos, sendo a principal Candida albicans, que contamina  as dermatite de fralda que apresentam evolução maior que 3 dias;

fatores que levam a hidratação da pele excessiva e entre outros.

A assadura ou dermatite de fralda, causa muito incômodo para o bebê. Caracteriza-se por ser ertiema brilhante (vermelhidão na pele), confluente com aspecto  “envernizado”, variando de intensidade ao longo do tempo, podendo apresentar-se na forma de pápulas eritematosas (uma elevação circunscrita da pele, de consistência sólida, na maioria dos casos com menos de 1 cm de diâmetro e avermelhada),  associada a edema (inchaço) e descamação.  As áreas  mais afetadas  são as nádegas, coxas, púbis, escroto e grandes lábios, locais que estão em contato direto com a fraldinha.

Como prevenir

Manter a região de fraldas sempre seca.

Fazer as trocas de fraldas frequentemente. As fraldas  devem ser trocadas sempre que possível, após a criança fazer xixi ou evacuar. Em recém-nascidos, bebês com menos de 28 dias de vida, as trocas de fraldas devem ser diárias e em bebês maiores a troca de fralda deve ser feita no intervalo de 3 a 4 horas.

Entre fraldas descartáveis e fraldas de pano, preferir as fraldas descartávei superabsorventes, pois  são as que possuem maior capacidade de manter a área da fralda seca.

A limpeza ou higiene da área da fralda deverá ser feita com água morna e algodão, sem a necessidade do uso de sabonetes. Quando são utilizados sabões suaves, estes não deverão ser aplicados mais do que duas vezes por dia.

Após a troca de fralda, deverá ser usado  uma pasta protetora ou um emoliante. As pastas são constituídas pela mistura de pós (ex: óxido de zinco, amido, dióxido de titânio) com gorduras (ex: vaselina e parafina ), que tem a capacidade de aderir à pele, apresenta boa absorção e reduzem a maceração.

Como tratar

Se a dermatite por fraldas ou assaduras não melhorarem com as medidas citadas acima, será necessário fazer uso de cremes com ação anti-candida (ex: nistatina ou imidazol).

Se o eritema (vermelho na pele), persistir, pode ser usado um corticóide de baixa potência (ex: hidrocortisona a 1%) no máximo 2 vezes por dia.

Anti-fúngicos orais com ação anti-candida, podem ser necessários em dermatites difíceis de controlar, com objetivo principal tratar a colonização intestinal por candida.

Nos casos de infecção secundária, é necessário fazer uso de antibiótico.

O importante é sempre fazer acompanhamento pediátrico, para que o tratamento correto seja feito adequadamente.

-

Referência: http://www.hmariapia.minsaude.pt/revista/vol1303/Dermatite%20das%20fraldas.pdf

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Related Posts

Tags

Share This

468 ad

4 Comments

  1. REGINA

    NOSSA! ME AJUDOU BASTANTE ESSAS INFORMAÇOES

Deixe um Comentário