Teste da orelhinha

O teste da orelhinha ou triagem auditiva neonatal, consiste em uma avaliação rápida e eficaz para detectar  as patologias da audição, e têm como objetivo não somente a detecção precoce de problemas auditivos, e sim de realização do tratamento o quanto antes. Evitando prejuízos para a criança ao longo da vida.

Deve ser realizado do nascimento  até os três meses de idade. O ideal é que seja feito na segunda semana de vida da criança. É  uma exame obrigatório  por lei, desde 2 de agosto de 2010.

Para a realização do teste, podem ser utilizados dois métodos eletrofisiológicos de triagem, as Emissões otoacústicas evocadas (OEA – Otoemissão acústica) e o Potencial auditivo do tronco encefálico (BERA).

O método mais utilizado

OEA – Otoemissão acústica é o método mais utilizado. Compreende a técnica de avaliação objetiva, rápida, não invasiva e de fácil execução, ideal na triagem e avaliação de bebês. O teste dura de cinco a dez minutos. No instante da execução, o bebê deverá estar em sono natural, visto que não tem contra-indicação , não acorda e nem incomoda-o.

Esses testes são realizados pela equipe de fonoaudiologia.

Em caso  de  deficiência  auditiva confirmada  a  criança  deverá receber intervenção educacional  até  seis  meses. Estudos indicam que um bebê que tenha um diagnóstico e intervenção fonoaudiológica até os seis meses de idade pode desenvolver linguagem muito próxima a de uma criança ouvinte.

É importante que a mamãe procure orientações com o pediatra da criança para a realização desse teste. Pois sabemos que a audição é o sentido que viabiliza o desenvolvimento da inteligência  e  da  linguagem. Assim sendo, é imprescindível  que  este  exame faça parte do arsenal de rotina para a avaliação auditiva.